Anandamayi Ma

Before reading, please say OM (pronounced AUM). Antes de ler, por favor diga o OM (pronuncia-se AUM). Antes de leer, por favor di el OM (pronunciado AUM).

Content available in English, Portuguese and Spanish. Conteúdo disponível em Inglês, Português e Espanhol. Contenido disponible en Inglés, Portugués y Español.

 

Sri Ma Anandamayi is one of the great religious personalities manifested in India of the twentieth century. Born in India on April 30, 1896, with the name Nirmala Sundari Devi, in a village where today it is Bangladesh, Sri Ma Anandamayi (Anandamayi Ma) came from a Brahmane family with a certain prestige, but without great possessions. She had a joyful childhood, becoming a girl of charming beauty and very dear to all.

At almost 13 years of age she was married to Sri Ramani Mohan Chakravarty, who later came to be known as Bholanath, for that is the name by which Sri Ma used to call him. From a cheerful and relaxed childhood she was thrown into a situation where she was required to discipline and dedicate herself to new responsibilities, helping her sister-in-law with the housework: washing, cleaning, cooking, carrying water, etc. But none of this changed her countenance or diminished the good humor of that young woman who was always happy to be useful. Such simplicity and joy came to preoccupy his new family a little, for it might be the hint of a simple mind.

At the age of 18, with the mutual consent of both families she moved to Ashtagram to stay with her husband where he lived and worked. In the same year, due to a job transfer, Bholanath went to Bajitpur, while Sri Ma stayed in the parents’ house for three years before going there as well.

The city of Bajitpur has a special significance for the devotees of Sri Ma because it was in 1918 that his spiritual activity began in the eyes of the world after receiving a divine inspiration. In his own words Sri Ma relates:

One day in Bajitpur I went to the well near the house where we lived for my daily bath, when I poured water on my head Kheyala came to me: What would it be like to play the role of a Sadhaka? And so Lila started.

Kheyala is a word much used by Sri Ma, it means a high inspiration. She was a simple girl with no formal education, had never had a guru or any Yogi instructor, but Bholanath found that she simply sat and plunged into the depths of Being.

For the next six years Sri Ma delved into various kinds of spiritual practices (sadhanas). She lived in an atmosphere of miraculous events, people came from afar to her for healing, Sri Ma often went into samadhi staying in this state for hours totally forgotten all around her, plunged in bliss. This oscillation between earthly and transcendental dimensions was a constant in the life of Sri Ma.

In 1940 Sri Ma was already recognized and respected among prominent personalities in India, having been recognized by monastic orders as the quintessence of the Upanishadic tradition.

Sri Ma did not give importance to the disputes between religions, races, sexes, etc., for her everything was The One. Purity in speech, actions and thoughts is the ideal for all those who seek divine fulfillment.

OM SAI RAM


 

Sri Ma Anandamayi é uma das grandes personalidades religiosas manifestadas na Índia do século XX. Nascida na Índia em 30 de Abril de 1896, com o nome Nirmala Sundari Devi, em uma vila onde hoje é Bangladesh, Sri Ma Anandamayi (Anandamayi Ma) veio de uma família Brahmane com certo prestígio, porém sem grandes posses. Ela teve uma infância alegre, tornando-se uma menina de encantadora beleza e muito querida por todos.

Com quase 13 anos de idade foi casada com Sri Ramani Mohan Chakravarty, que mais tarde passou a ser conhecido como Bholanath, por ser esse o nome pelo qual Sri Ma costumava chamá-lo. De uma infância alegre e descontraída foi atirada em uma situação onde lhe era exigida disciplina e dedicação à novas responsabilidades, ajudando sua cunhada nos trabalhos da casa: lavar, limpar, cozinhar, carregar água, etc. Mas nada disso alterou o semblante nem diminuiu o bom-humor daquela jovem que sempre se demonstrava feliz em ser útil. Tal simplicidade e alegria chegou a preocupar um pouco sua nova família, pois poderia ser o indício de uma mente simplória.

Ao completar 18 anos, com o mútuo consentimento das famílias ela mudou-se para Ashtagram para ficar com o marido onde ele vivia e trabalhava. No mesmo ano, devido a uma transferência no trabalho, Bholanath foi para Bajitpur, enquanto que Sri Ma ficou na casa dos pais por três anos antes de ir também para lá.

A cidade de Bajitpur tem um especial significado para os devotos de Sri Ma, pois foi onde em 1918 teve início a sua atividade espiritual aos olhos do mundo após ter recebido uma inspiração divina. Em suas próprias palavras Sri Ma relata:

Um dia em Bajitpur eu fui ao poço perto da casa onde vivíamos para o meu banho diário, quando jogava água em minha cabeça a Kheyala veio a mim: Como seria viver o papel de um Sadhaka? E assim a Lila teve início.

Kheyala é uma palavra muito usada por Sri Ma, significa uma inspiração elevada. Era uma moça singela sem nenhuma educação formal, nunca tinha tido um guru ou qualquer instrutor yogue, porém Bholanath constatou que ela simplesmente sentava-se e mergulhava nas profundezas do Ser.

Durante os seis anos seguintes Sri Ma aprofundou-se em vários tipos de práticas espirituais (sadhanas). Ela viveu em uma atmosfera de acontecimentos miraculosos, pessoas vinham de longe até ela em busca de curas, Sri Ma frequentemente entrava em samadhi permanecendo neste estado por horas totalmente esquecida de tudo ao seu redor, mergulhada em bem-aventurança. Esta oscilação entre as dimensões terrena e transcendental era uma constante na vida de Sri Ma.

Em 1940 Sri Ma já era reconhecida e respeitada entre personalidades de considerável renome na Índia, tendo sido reconhecida por ordens monásticas como sendo a quintessência da tradição Upanishadica.

Sri Ma não dava importância às disputas entre religiões, raças, sexos etc, para ela tudo era O Um. Pureza na fala, nas ações e nos pensamentos é o ideal para todos aqueles que buscam a realização divina.

OM SAI RAM


 

Sri Ma Anandamayi es una de las grandes figuras religiosas que vivieron en la India del siglo XX. Nacida en la India el 30 de abril de 1896, con el nombre Nirmala Devi Sundari, en un pueblo en lo que hoy es Bangladesh, Sri Ma Anandamayi (Anandamayi Ma) provenía de una familia de Brahmanes con cierto prestigio, pero sin muchas posesiones. Tuvo una infancia feliz, convirtiéndose en una chica de belleza encantadora y muy querido por todos.

Con casi 13 años de edad, estaba casada con Sri Ramani Mohan Chakravarty, que más tarde se conoció como Bholanath, porque ese es el nombre con el que Sri Ma solía llamarlo. Una infancia alegre y relajada fue arrojada a una situación en la que se le requirió la disciplina y la dedicación a las nuevas responsabilidades, ayudando a su cuñada en las tareas de casa: lavar, limpiar, cocinar, ir a buscar agua, etc. Pero nada de eso cambió la cara o el buen humor de la mujer joven que siempre mostró feliz de ser útil. Esa sencillez y alegría ha llegado a preocupar un poco a su nueva familia, ya que podría ser un indicio de una mente ingenua.

Al término de 18 años con el consentimiento mutuo de ambas familias se trasladó a Ashtagram a quedarse con su marido donde vivia y trabajaba. En el mismo año, debido a una transferencia en el trabajo, Bholanath fue para Bajitpur, mientras que Sri Ma estaba en casa de sus padres durante tres años antes de ir allí también.

La ciudad de Bajitpur tiene un significado especial para los devotos de Sri Ma, fue donde en 1918 comenzó su actividad espiritual en el mundo después de haber recibido una inspiración divina. En sus propias palabras Sri Ma informa:

Un día en Bajitpur fui al pozo cerca de la casa donde vivíamos para mi baño diario. Mientras caía el agua sobre la cabeza Kheyala vino a mí: ¿Cómo se vive el papel de un Shadaka? Así comenzó la Lila.

Kheyala es una palabra muy usada por Sri Ma, significa una alta inspiración. Era una chica sencilla sin educación formal, que nunca había tenido un gurú o yogi, pero Bholanath constató que ella sólo se sentaba y sumergía en las profundidades del ser.

Durante los seis años siguientes Sri Ma se profundizó en varios tipos de prácticas espirituales (sadhana). Ella vivía en una atmósfera de acontecimientos milagrosos, la gente vino desde muy lejos para buscar cura. Sri Ma entraba en samadhi y permanecía en este estado durante horas totalmente inconsciente de todo lo que le rodeaba. Esta oscilación entre la dimensión terrena y trascendente fue una constante en la vida de Sri Ma.

En 1940 Sri Ma fue reconocida y respetada entre personalidades de reconocido prestigio considerables en la India, después de haber sido reconocida por las órdenes monásticas como la quintaesencia de la tradición de los Upanishads.

Sri Ma no dio importancia a los conflictos entre religiones, razas, sexos, etc. La pureza en el habla, acciones y pensamientos es ideal para aquellos que buscan la realización de Dios.

OM SAI RAM


For more information/Para mais informações/Para más información:

http://www.anandamayi.org

 

Comments are closed.

Create a website or blog at WordPress.com

Up ↑

%d bloggers like this: